terça-feira, janeiro 17, 2006

ABREUS Senhores de "FORNOS" III

Quando anteriormente me referi aos Albuquerques, afirmando que tinha sido um deles o primeiro Barao de Fornos de Algodres, disse tambem que os Abreus sao uma familia com mais pergaminhos na nossa vila que aqueles, entao porque razao tera sido que estes foram preteridos aquando da instituicao daquele titulo nobiliarquico?
Creio que devera ter sido por algum servico a rainha constitucional, lhe tera sido concedido, e tambem pelo facto do Barao nao ter descendencia varonil, o titulo iria terminar com ele.

Creio (caso alguem tiver outra informacao, agradeco desde ja) que os Abreus sendo uma familia da nobreza tradicional, (segundo os genealogistas ja vem do tempo do pai do nosso primeiro Rei,)esteve sempre ao lado do efemero Rei D. Miguel e de acordo com a tradicao, e, contra as "modernices" constitucionais. Provavelmente por isso e porque os Albuquerques Pimentel de Vasconcelos Soveral, de Fornos se terao dedicado ao liberal D. Pedro IV, que quando este abdicou na sua filha D. Maria II, ela tera premiado aquele senhor, provavelmente atravez de alguma informacao dos Costa Cabrais, (ministros daquela rainha) que sendo naturais de Fornos de Algodres, conheciam bem todos eles.

No entanto uns anos mais tarde apos a morte do Barao, e quando ja estava em vigor o regime da Regeneracao, a mesma rainha corrigiu o suposto erro inicial, ao conceder a Joao Maria de Abreu Castelo Branco Cardoso e Melo o titulo de Visconde, mais tarde o seu filho Rei D. Luiz elevou o mesmo a categoria de Conde.

Devo informar aos menos conhecedores que estes titulos, foram unicamente nobiliarquicos, pois nessa altura ja tinham sido abolidos, os morgadios, senhorios e outras perrogativas, pelos governos liberais.
No entanto com a excepcao dos traidores: Noronhas, os Abreus tinham sido durante mais de dois seculos senhores desta vila, pelo que o titulo estava bem entregue.

Desta familia sairam pessoas que em muito contribuiram para o engrandecimento da vila de Fornos em fins do seculo XIX e principio do seguinte, tendo estado envolvidos na construcao do hospital da Mesericordia, do Paco Municipal e do Mercado Municipal que ainda hoje conserva o nome do Conselheiro Lopo de Abreu, entre outras coisas.

4 comentários:

eduardo disse...

Ainda um dia hei-de perder um bocadinho para tentar resolver este problema dos acentos. E tiles, hehe...

No entanto aproveito, sempre ao vir aqui, saber das coisas que nos contas sobre Fornos.
E tudo quanto conste sobre a História dessa região única e ímpar onde as pessoas estão primeiro.

Deixo um abraço e o dever de ir acompanhando as coisas que me interessam. ;)

JL disse...

Apesar de não ser de Fornos, acompanho também com muita atenção este espaço interessante e educativo.

TSFM disse...

O meu amigo já exerceu o seu direito de voto, aí pelos Sates?

al cardoso disse...

Caro Tavares:
Sabe perdi o meu cartao de eleitor, e como tenho andado muito atrarefado nao consegui tempo para ir ao consulado.
No entanto como deve saber ate nem sou muito a favor destas republicanisses, creio que um rei pode fazer tudo o que um presidente faz e muitissimo mais barato. Sao ideias.