sexta-feira, dezembro 18, 2015

Aldeia das Cortes, Figueiró da Granja. (Junto a Vila Chã )

Já aqui referi que uma parte da Aldeia da Cortes, foi adquirida por novos donos, que iniciaram um projecto para a sua recuperação
É um projecto muito interessante, que eu há anos ansiava e que muito me apraz.
Caso desejem ir sabendo o que por lá vai passando, nada melhor que consultarem o seguinte blogue: www.aldeiadascortes.blogspot.pt
Para já e graças a estes novos donos, assistimos a várias limpezas e os trabalhos de reconstrução e construção, esperamos sigam breve!

Devo referir, que embora não tenha conseguido ainda, nenhum documento que o possa provar, mas por várias evidências, estou plenamente convencido, que esta pequena aldeia que chegou a ter 8 fogos, e ainda era habitada em meados do século XX. Foi fundada por judeus, que até aí viviam na vila de Figueiró da Granja, convertidos á força no século XVI.

De notar também, que junto a esta pequena aldeia, existem 3 sepulturas escavadas na rocha, algumas lagaretas "romanas" ou medievais, também escavadas no granito e também vários penedos, onde se encontram gravadas cruzes de vários tamanhos, da Ordem de Cristo, que tanto podem ser os limites, entre os antigos Concelhos de Algodres e Figueiró da Granja.
Como os limites da Comenda de Santa Maria de Algodres, da Ordem de Cristo, o que até será o mais provável!


sexta-feira, outubro 30, 2015

Os "Melo de S. Paio", Casa da Cerca, Ramirão.

Fotografia da Casa da Cerca em 1976, cedida gentilmente por Diogo de Tovar, descendente da Familia Melo de Sampaio, que foram depois Marqueses da Graciosa
Uma das mais importantes casas do antigo concelho de Algodres, foi esta Casa da Cerca, na antiga freguesia do Ramirão!
As suas origens conhecidas vão até a epoca medieval e a Diogo Lopes de Lima, cuja filha casou com um senhor da Familia Figueiredo, que teve origem em Figueiredo das Donas, no Distrito de Viseu.
Mais tarde aqui tiveram assento os Melo de S. Paio ou Sampaio, que por casamentos se ligaram aos Mendes de Cacêres e foram os donos da Quinta do Casainho na vizinha vila e freguesia de Infias.
Esta Casa da Cerca, que infelizmente ruiu na sua maior parte, conserva até hoje varios cruciformes que tem muitas semelhanças com os que aparecem nas judiarias!
Devo tambem fazer notar e a isso me referi no passado, que no século XVII, foi investigado pela inquisicão um senhor desta casa, por heresia!

segunda-feira, outubro 19, 2015

"O Bom Filho à Casa Torna"!

Casa de um "cristão-novo", pegada a casa onde nasci.
Rua do Terreiro, Vila Chã, Fornos de Algodres 

Como me considero "bom filho", sempre volto com muito prazer a "casa", e casa para mim, é a minha "Terra d'Algodres"!
E porque é assim, ainda recentemente estive junto á casa onde nasci, e, junto dela, no solar da Família Soveral Pedroso, com a sua capela de Nossa Senhora do Carmo, na minha querida Vila Chã (d'Algodres), onde fui recebido como família, pelo meu amigo João Serrão e sua esposa.
Ai pude relembrar tempos de meninice, e apreciar a recuperação de um antiquíssimo solar, seus jardins e quintal, que a família Serrão actuais proprietários,  optou por dedicar ao Turismo de Habitação, e que eu recomendo vivamente!

Mas este artigo tem também outra finalidade, é a volta a casa, do antigo nome deste "blog", que iniciado em Agosto de 2005, teve o titulo de: "Judeus em Terras de Algodres".

Agora chamo-o "Judeus na Terra D'Algodres", mas a finalidade continua a ser a mesma.
O facto de ser na "Terra", em vez de "Terras", é pelo facto de que tanto na época medieval, quando na carta de povoação concedida por D. Soeiro Mendes, esta era a "terra de Algodres", portanto uma única unidade.
Mas ainda mais hoje, quando toda esta "Terra" é a "unidade" do actual município de Fornos de Algodres!



sexta-feira, agosto 28, 2015

"AQUI d'ALGODRES"!: Repovoacao de aldeias abandonadas! Porque nao?

"AQUI d'ALGODRES"!: Repovoacao de aldeias abandonadas! Porque nao?



Creio que alguém leu isto que eu escrevi há anos, e está bem encaminhada a recuperação, da minha querida Aldeia das Côrtes!

Desejo a maior sorte ao lutador, e embora a casa que eu coloco na fotografia, ainda não esteja incluída no projecto, espero que o possa estar breve!



Boa sorte aos futuros habitantes do nosso Município.

terça-feira, agosto 11, 2015

"D'ALGODRES": APRESENTACAO

"D'ALGODRES": APRESENTACAO



Este "blog" faz hoje 10 anos e o pedido dessa altura continua actual!



Parabéns a ele digo eu!

quarta-feira, maio 27, 2015

SALVE O "28 DE MAIO"!

Antes de começarem a chamar-me nomes, leiam ate ao fim!
Este 28 de Maio a que me refiro, não e o da revolução, que acabou com a desorganizada, sanguinária, e revolucionaria republica portuguesa!
E o da "carta de foro" (Foral) a vila e concelho do "lugar dos Fornos" (do cabo de Algodres), por D. Dinis, faz neste dia 705 anos!
Desconhecendo-se desde quando, Fornos, que umas vezes era; de Algodres, junto a Algodres, a par de Algodres e do cabo de Algodres, tinha sido já em 1258, (inquiricoes de D. Afonso III) separada da antiquíssima "terra de Algodres", e constituída como entidade independente, daquele concelho, a que ainda pertencia no reinado de D. Afonso Henriques, nosso primeiro rei!
Porque fazia parte do "reguengo" (terras de propriedade real), e que D. Dinis lhe concedeu este foral, regulando os seus direitos e os seus deveres, perante a coroa.
Em vão tentei, que o meu querido município, celebra-se a data redonda dos 700 anos, mas como eram "palavras loucas", também obtiveram "ouvidos moucos"!
Também na altura sugeri, que o nosso jardim municipal "28 de Maio" fosse re-edicado com uma placa, referindo aos vindouros esta data, de referencia para Fornos de Algodres!
Quem sabe num futuro, talvez nos 710 anos, alguém se lembre do que escrevi hoje!

ENTRETANTO CONTINUAREI A DIZER: "SALVE O 28 DE MAIO", de 1310! (1348 da era de Cesar)

segunda-feira, março 02, 2015

S. Miguel Arcanjo!

A torre e telhado, da actual igreja matriz de S. Miguel, de Fornos de Algodres.

Respeitado e ate venerado, pelas três religiões monotaistas, S. Miguel Arcanjo e também venerado como padroeiro da igreja  matriz e da vila de Fornos de Algodres, mas também da freguesia da Muxagata, neste mesmo município, no dia 29 de Setembro de cada ano.

Embora o monsenhor Pinheiro Marques escreve-se o contrario, o Arcanjo S. Miguel e o patrono de Fornos de Algodres, desde ainda antes do século XIII (inquiricoes da Beira e Alem Douro, D. Afonso III, 1258), pelo que não me admiraria-se que o fosse, desde a constituição da igreja, que terá ocorrido pelo menos no século XII, ou ate em data anterior. E datara dos primeiros tempos do cristianismo, que para a península Ibérica veio logo no século IV. A festa que se celebra-se no feriado municipal, pois são coincidentes, terá este ano a presença do Bispo Diocesano de Viseu, que vem inaugurar e benzer, a nova residência paroquial acabada de construir.
Como nota histórica, a Abadia de São Miguel de Fornos, era bastante rica e possuía para alem de passal e outras propriedades, residência para o seu abade e curas adjuntores, mas foi-lhe retirada a sua propriedade, com a lei da separação, originada creio, pelo decreto do "mata frades", (decreto de 28 de Maio de 1834, publicado em 30 de Maio do mesmo ano) ou já nos princípios da primeira republica!
Foi onde existiu a Residência Abacial, que mais tarde adaptaram para as Escolas Primarias de Fornos, que infelizmente também já não existem! Estas deram lugar a um caixote de betão, onde funcionou a Escola Preparatoria Conselheiro Lopo de Abreu, e onde na metade presentemente adquirida pela paroquia, funciona o Centro Paroquial. (como "soi" dizer-se; o bom filho a casa torna!)