terça-feira, agosto 22, 2006

SENHORA DO CARMO Vila Cha - Fornos de Algodres


Ja ha algum tempo divulguei uma fotografia e referi-me a este solar, existente na minha aldeia natal. Hoje e aqui, podemos ver com mais detalhe, a frontaria da capela e a porta principal da casa.

Suponho que o edificio devera datar do seculo XVII ou XVIII, embora haja conhecimento da existencia da familia Soveral, (antepassados dos Pedrosos antigos proprietarios desta casa), pelo menos no seculo XV, pelo que a fundacao sera muito anterior.
O interior da capela e barroco, com um belo altar em talha dourada e tecto em caixotoes, com quadros com pinturas iconograficas, conserva tambem algumas imagens antigas, entre as quais uma pequena da virgem com o menino em pedra.

A pequena casa adjacente com timpano em branco, foi aquela em que este humilde escriba habitou quando veio ao mundo, ja la vao umas dezenas de anos, pelo que conheco estas construcoes muito bem, ficam muito perto da inscricao referida a relativamente pouco tempo.

6 comentários:

Sulista disse...

Post Lindo.
Belos monumentos e de 'velhas' estórias hein?

Um Abraço e bem vindo de volta!

ps- para a próxima, temos que nos encontrar p um cafézinho...não o sabia por aí...nem por aqui...e olhe que passei lá ao pé de Fornos...linda paisagem :-)

Fernando disse...

Parabéns pelo post.
Uma vez que somos conterraneos, tomei a liberdade de adicionar o seu endereço de email á lista do meu blog. Espero não haver incovenientes.
Obrigado

A Cor do Mar disse...

Ola Albino, conheço bem estas fotos, a minha cunhada é de Fornos, já la estive 2 vezes. Gostei muito, mas é muito longe daqui...Espero que estejas bem aí , do outro lado do mar :***

OvelhaNegra disse...

Sejas bem voltado.
A tua foto é muito bonita. E o solar também o deve ser. Conheço mal Fornos.
Mas, infelizmente, pelo país todo, há Solares semelhantes votados ao abandono.O que me aparenta não ser o caso desse.
Quanto ao comentário que fizeste na minha casinha, eu sabia(e sei) que «o pano» se chama pálio. Risos. Mas achei que ficava melhor escrever «pano», na medida em que tentei escrever o texto com sarcasmo. Risos.
Um beijo*

Alex disse...

Tendo passado a infância junto a esse belo solar deve conhecer-lhe todos os cantinhos.
Deve ser lindo o seu interior – por fora parece estar muito bem conservado.

Já adicionei no blog da Abrunhosa do Mato duas caras conhecidas suas.
Um abraço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.