quinta-feira, agosto 03, 2006

Gravacao em Vila Cha III


Aqui publico a versao da gravacao a preto e branco, que eu acentuei a negro, onde se podera melhor observar a minha teoria do "post" anterior.
Caso algum dos meus amigos tenha algo mais a crescentar, continuo aberto as varias opinioes.

9 comentários:

Mac Adriano disse...

Pois é, não tenho sugestões. Ainda há pouco tempo visitei, em Évora, uma catedral do século XIV (acho eu) e fiquei tipo burro a olhar para um palácio, a ver se conseguia decifrar alguma coisinha do que estava escrito em latim. Escrito nos nossos caracteres actuais, há muitas palavras latinas que se consegue decifrar, mas com estes caracteres floreados que se usavam na altura é muito difícil.

Nuno disse...

Caro Albino:
Com base nesta imagem, bastante esclarecedora, a hipótese de leitura que alvitrei não corresponde à epigrafe.
Agora não sei que opinar...
Um abraço,

al cardoso disse...

Ja agora pelo tipo de carateres, alem arrisca uma datacao?

Joaquim Baptista disse...

Caro Al, pelo que vejo, que pode não ser 100% seguro, creio que a pedra diz IHS DEVS. Se o IHS é seguro embora a haste do H desiquilibrada, talvez por anomalia na pedra ou da gravação. O simbolo ondulante que está por cima do H corresponde a um ómega sinal indicativo de inexistencia de palavras ou letras e usado largamente na epigrafia portuguesa arcaica. Quanto ao DEVS: Exite nexo entre as letras D e E e o que parece ser um I quanto a mim parece-me um V com a haste esquerda mais sumida e encostada ao D. Além do mais se se trata-se de um I teria a pinta por cima como o 1º da inscrição. Eis o que eu vejo e penso, não quer dizer que seja seguro, por vezes nem com as pedras à mão de semear.

Joaquim Baptista disse...

Quanto a datações só posso dizer do século XVI em diante

Nuno disse...

A observação do Joaquim é excelente, como habitualmente nestas matérias.
Olhando melhor, parece existir de facto uma ligação entre o D o I, formando um V.
O tipo de letra também é compatível com a cronologia que propõe.
Estaremos assim perante mais uma abreviatura católica, situável com maior probabilidade entre os sécs. XVI - XVIII, das muitas que o Albino tem encontrado em Terras de Algodres. Se foi feita ou não por um cristão-novo é o que resta saber.
Parabéns a ambos!

Crónicas de Ariana disse...

Disto não percebo eu.
Passei só para dar um BJ.
Espero que os dias de férias tenham sido bons.

TSFM disse...

Como sabe bem privar com estes grandes amigos epigrafistas. Um abraço de excelentes férias...eu já estou...

Bel disse...

Confesso que começo a ficar curiosa. Apesar de continuar a ver um H tambem sei que se for um F como sugeres ifs são as siglas significantes da beatificação de alguém que deve ser contemplado pelo que o fazer referencia a um deus no ceu parece - me que se mantém válida.
Espero que em breve descubras realmente o significado dessa gravura.
Bom fim de semana