terça-feira, maio 16, 2006

SENHORA dos MILAGRES


Este rochedo forma com outro uma pequena gruta, em que em 1786, supostamente apareceu a um pastor, uma imagem da virgem, que tinha sido levada para a se de Viseu, uns anos antes.
E interessante tambem, que por essas alturas trabalhava para a diocese, um natural desta freguesia. (Muxagata).
E tambem de notar que tambem nesta "aparicao" existe um pastor.
Antes desta aparicao, existiu nesta area um santuario grandioso, que tinha sido destruido pelos naturais, aquando da transferencia da imagem, para a se de Viseu, cerca de cem anos antes.
Foi facil transformar a gruta, em pequena capela, como se pode ver. Esta situada no "Locum mourum" (lugar dos mouros) que ja aparece num documento de 1170. (carta de couto de Figueiro da Granja)

Devido a terem-lhe destruido o antigo templo, a gente da Muxagata, era tida como pouco religiosa, pelo que por alturas destes acontecimentos, foi feita a seguinte quadra.

O Senhora dos Milagres
Onde fos-te aparecer,
Em terras de Muxagata
Que nem se sabem benzer.

11 comentários:

acv disse...

Há uns meses estive aqui numa interessante feira gastronómica e comi, pela primeira vez, uma notável sopa de urtigas, especialidade de Juncais.
Notável foi igualmente o desinteresse que muita gente do concelho revelou por uma iniciativa interessante de gentes do concelho. Às vezes parece que é preciso ser de fora para apreciar. É o velho provérbio, "casa de ferreiros...

TSFM disse...

...espeto de pau...

GreenSky disse...

Os pastores em vez de guardarem o gado andam sempre a encontrar virgens marias...

Gostei de ler a história, se tivesse sido no tempo do Botas e do auge do Benfica tínhamos na Muxagata um templo como o de Fátima e as promessas de ir a pé para as gentes da Beira eram muito menos cansativas, para alem do que se facturava em imagens pequeninas e na venda de milagres… não é uma gruta mas uma mina perdida.

Um abraço

al cardoso disse...

Caros ACV e TSFM:
Tem toda a razao quando referem esse dito popular. Ainda na minha visita recente a Fornos, conversando com a funcionaria do Centro de Interpertacao Arqueologica, ela me confidenciou, que muitos dos habitantes e naturais, nunca ali fizeram nenhuma visita.
Pelo concordaram comigo, que em questao de cultura, ainda existe um longo caminho a percorrer.
No entanto e, como a esperanca e a ultima a morrer, continuo a tentar dar o meu humilde contributo.

TSFM disse...

Al Cardoso, força...

TSFM disse...

ACV,
Uma questão: relativamente a uma sepultura escavada na rocha, na questão da orientação,vamos supor que a cabeceira está a Oeste e os pés a Este. Como se considera que esta sepultura esteja orientada? a Este ou a Oeste?
Muiito obrigado.

Chanesco disse...

Efectivamente a quadra não podia ter sido feita com maior oportunismo.

Faz lembrar um pouco aquela do António Aleixo

Pára-raios nas igrejas
É para mostrar aos ateus
Que os critãos quando troveja
Não têm confiança em Deus

Cumprimentos!

al cardoso disse...

Caro Tavares:

Eu sei que a pergunta e para ACV, mas permita-me a minha modesta opiniao: Nao lhe posso dizer como se devera nesse caso considerar, o que eu creio saber, e que para ser de acordo com a orientacao canonica crista, o corpo tem de estar com a cabeceira virada para Oeste, pois aquando da segunda vinda de Cristo os defuntos levantar-se-ao e ficaram de face para ele que vem do Este ou Nascente.

acv disse...

Precisamente. Embora a cabeceira esteja para Oeste, a sepultura está "orientada" a Este.

TSFM disse...

Era precisamente o que eu pensave sempre fiz, porém na pesquisa que tenho feito para fazer o novo trabalho que tenho em mãos tenho encontardo tantas medições contraditórias, que cheguei a pensar que seria eu que estava enganado. Ainda bem que não, pois esse capítulo já está concluído e não me apetecia nada ter que alterá-lo.
Muito obrigoado aos meus amigos.

Nuno - Trancoso disse...

Gostei de ver essa Capela, apenas tinha visitado uma em comunhão com um rochedo que é a da Srª Da Lapa, por vezes tão perto existem estes tesouros, as vezes esquecidos,

Obrigado por nos Dar a conhecer estas coisas,
Abraço
Nuno - Trancoso