quinta-feira, maio 25, 2006

CULTO DOS MORTOS "ALMINHAS" I


Desde os tempos mais remotos, que as varias civilizacoes prestam culto aos seus mortos, entre nos existem evidencias disso desde o tempo dos Celtas, que em sua honra ergueram varias Antas e, do tempo dos romanos com as varias aras votivas.
Quando mais tarde os povos colonizados pelos romanos, adoptarama religiao crista, esta foi aos poucos adoptando os costumes antigos, adaptando-os de acordo com a nova fe.

Uma das tradicoes que foi adaptada, no que respeita ao culto dos mortos, foi a das "alminhas". Em Portugal existem inumeros desses singelos monumentos, mas em muito maior quantidade na parte norte e centro do pais. Ha-os de varias epocas e, ainda hoje presiste o habito da colocacao de memorias funerarias, nos locais em que ocorre a morte de alguem tragicamente.

As "alminhas" sao normarmente um monumento megalico esculpido, em que de ve uma cruz gravada ou esculpida, sobreposta a um oratorio onde eram pintadas cenas do "purgatorio" com as almas a pedir as oracoes dos passantes, pois eram eregidas junto a caminhos e estradas. Na freguesia da minha naturalidade (Vila Cha d'Algodres) existem varios destes singelos monumentos, havendo-os de varias epocas.

Estas "alminhas" que ilustram esta entrada, ficam situadas na estrada de ligacao a Cortico d'Algodres, a cerca de cem metros da fonte de Santo Antonio. Esta estrada e tambem o caminho da via sacra, que segue em direccao ao Calvario e, talvez fizessem parte de uma estacao da "via sacra". No entanto nas minhas recordacoes de infancia, consta que aqui vinha a prossicao das "Ladainhas", no dia do "voto" de Na. Sa. dos Verdes, talvez porque ficam na direccao geografica, da capela desta denominacao, sita em Forninhos no vizinho concelho de Aguiar da Beira.

Este "voto" ou promessa foi instituido aquando de uma severa praga de gafanhotos, que devastaram os campos da regiao, creio que no seculo XVIII. Nessa altura enquanto a gente dos antigos concelhos de Fornos, Infias e Figueiro da Granja, fizeram o "voto" a Senhora dos Verdes da Abrunhosa-a-Velha, o concelho de Algodres no qual estava incluida a freguesia de Vila Cha, ia cumprir a promessa a Forninhos. Creio que ja tera sido no seculo XX que se deixou de fazer esta romagem e, embora la continuassem a ir pessoas individualmente, a romagem era feita nas varias aldeias com as ditas "prossicoes das ladainhas".

8 comentários:

al cardoso disse...

Desculpem a fotografia nao ser de melhor qualidade, ja e bastante antiga, mas nao quiz deixar de publica-la pela referencia directa que lhe fazia a entrada.

TSFM disse...

Excelente tributo a um tipo de monumentos, muito aclamados pelos "patrimonialistas". Neste capítulo, sou, como o meu amigo sabe, um grande defensor e pugno pela preservação destes monumentos. Devo acrescentar que neste momento tenho já em fase algo adiantada um trabalho de inventariação e uma tentativa de "historizar" um pouco sobre as Alminhas. Tem-me dado algum trabalho, e já lá vão alguns anos que o iniciei.
Sabe que recentemente, alertado por um "patrimonialista" aqui de Mangualde, para o facto de as Alminhas atestarem a antiguidade dos caminhos, da viação antiga. De facto, junto a um troço inequivocamente romano, mais uns metros à frente, e já sem os vestígios romanos, l´~a surge uma Alminha, antiga, indicando que aquele traçado seria, provavelmente, a continuação do troço romano, e que teve uso até à relativamente pouco tempo.
Interessante pista...

mao morto disse...

O pior é quando decidem fazer muros a ladear estradas, propriedades, etc. e as "alminhas" ficam emparedadas entre blocos...

Greetings!

Lord of Erewhon disse...

Pena... que o cristianismo, no seu afã totalitário, tudo tenha feito para calar os Antigos Deuses... por maior que seja a beleza destes monumentos... expressam remorso e saudade!

GreenSky disse...

Eu que vou sempre á Sra dos Verdes, até pela minha cor, desconhecia esta parte da hisória.
Mais uma vez obrigado amigo Al-Cardoso por partilhar estes conhecimentos que nos vão tornando mais ricos.

Um abraço

O Micróbio II disse...

Só tenho pena que muitas delas estejam vandalizadas...

OJ disse...

Aqui choro pelo roubo de parte de umas alminhas situadas em Alfaiates (concelho de sabugal). Eram constituídas por uma base tipo padrão e rematadas por um pujante crucifixo muito rústico. Pois os larápios partiram esse crucifixo e levaram-no.
Para minorar a perda colocaram (creio que a Junta) um novo crucifixo, mas não tem o mesmo encanto que o outro.

Interessante como este património tão singelo, mas bastante rico em Portugal, vai sendo tema de posts em diversos blogues.

al cardoso disse...

Perto da minha aldeia, tambem desapareceram umas alminhas, que ja na decada de 70 passada estavam truncadas, passado alguns anos mais desapareceram completamente. Presentemente muito pouca gente ja tem lembranca delas, como o pude comprovar recentemente.

Pela minha parte tenho tentado documentar fotograficamente, qualquer monumento conhecido, por mais pequeno que seja.