domingo, maio 06, 2007

"Cristaos-Novos" (ou Judeus) em Juncais!

Ponte de Juncais sobre o Rio Mondego; construida em meados do seculo XIX, sobre os restos de uma outra "romana", mandada destruir por Beresford em 1810, para atrazar a terceira invasao francesa.



A freguesia de Juncais que ate meados do seculo XIX, estava incluida no concelho de Linhares, tambem teve habitantes de religiao judaica. Isto ate nem e de admirar porque na vila medieval de Linhares da Beira, existiu uma das importantes comunidades hebraicas da nossa regiao.

Nesta freguesia onde passava um caminho romano, deveria ter havido mais familias judaicas, que teram passado aos vindouros, as artes manuais ainda praticadas aqui, no entanto ate ao presente so consegui descobrir a seguinte evidencia:

Existe no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, o processo 7390, da Inquisicao de Lisboa, de 04/11/1660 -17/08/1664, que refere o seguinte:

Processo de Antonio Fernandes Nunes,
1/2 cristao-novo, acusado de Judaismo, com a profissao de Mercador, natural de Juncais, termo de Linhares, morador na Covilha, de 42 anos de idade, filho de Simao Fernandes Carvalho, cristao-novo, mercador e de Catarina francisca, crista-velha, Casado com Maria Henriques, crista-nova, segunda mulher. Sentenca: confisco de bens; ir ao Auto de Fe; abjuracao em forma; carcere e habito penitencial perpectuo; penitencias espirituais.

Como vemos uma das finalidades dos processos contra os "cristaos-novos" era o confisco de bens!

Tambem e interessante de notar, que um antigo judeu adoptou o apelido "Carvalho". Sao casos isulados como este, que fizeram com que se institui-se o "mito"; "de que todos quantos tem apelidos de arvores tem antepassados judeus". Como e sabido embora possa acontecer em casos como este, isso nao e verdade na grande maioria das vezes, embora muita gente continue a propagar o "mito".


5 comentários:

Eduquês disse...

Em alguns aspectos andamos a ressuscitar a Idade Média...

Eddy Nelson disse...

Muito importante o relembrar desta memória histórica associada às aldeias. Não sei se o museu de Belmonte conta com esta dimensão.

um abraço raiano

O Micróbio II disse...

e o mito propaga-se...

RPM disse...

Amigo Al!

relativo ao último parágrafo é uma realidade....a adopção de apelidos associados à fauna e flora estão intimamente ligados aos denominados cristãos-novos.....

quanto à perseguição, ela faz-se nos dias que correm e com a ajuda das leis criadas com esse fim....

eu, no meu local de trabalho sou vítima disso. Chamo a atenção de erros dos meus superiores hierárquicos e 'levo' nas orelhas...

verdade, a pura verdade...

abraço

RPM

Nuno disse...

"Franceses defendem preservação da Judiaria "
É o título de uma noticia desta semana do BeirasOnline, vale a pena ler o artigo.

Podem visitar em :
http://trancosomedieval.blogspot.com/ mais precisamente em:
http://trancosomedieval.blogspot.com/2007/05/franceses-defendem-preservao-da.html

Saudações da Beira Alta,
Nuno