sexta-feira, outubro 27, 2006

"Os grandes portugueses" Padre ANTONIO VIEIRA

Ontem estive atentamente a ver o debate na RTP, acerca dos "grandes portugueses", ja tenho lido e ouvido falar bastante sobre este tema e estava quase a deixar passar-lo, sem a ele me referir. Mas pensando um pouco mais, decidi dar tambem a minha humilde opiniao.

Como amante da historia e regionalista convicto, deveria escolher talvez alguem da, ou com ligacao a "nossa Beira", ou ate algum personagem de mais perto da minha terra natal. Teria muitos por onde escolher, e vou so dar alguns exemplos: Sacadura Cabral, Virgilio Ferreira, Gomes Eanes de Azurara, Gil Vicente, (sim eu tambem defendo que era de Guimaraes de Tavares) Rui de Pina, ou ate os meus conterraneos; Antonio Bernardo da Costa Cabral, ou Antonio Menano.
No entanto e acima destes todos, (isto no meu criterio) estariam sem duvida o rei D. Sancho I; o grande povoador desta regiao, mas e muito especialmente, D. Dinis que por aqui tendo casado, promoveu com forais e feiras o desenvolvimento destas terras.

Tambem e porque neste blog me debruco sobre temas judaicos, poderia tambem escolher alguem com ligacoes a esse povo, como Garcia da Orta, Ribeiro Sanches, ou Aristides de Sousa Mendes.

No entanto decidi e creio que irei votar, por um portugues que como poucos reflete a nossa universalidade portuguesa: Padre Antonio Vieira, que segundo gente mais sabedora, era tambem "cristao-novo".
Nascido no Brasil enquanto colonia portuguesa, pregador e professor Jesuita, embaixador, mesianico mas realista, defensor dos indios dos judeus e dos mais pobres, entre muitas outras coisas.
Como a grande maioria, so depois de morto lhe deram algum do credito que merecia.

Pela universalidade que representa, o padre ANTONIO VIEIRA, e o meu "Grande portugues".

12 comentários:

mao morto disse...

Pois parece-me que se perpetra uma grande injustiça: o maior português é (e será!) o Zezé Camarinha! Quem como ele contribuiu para a aproximação - mais, para o emparelhamento! - de Portugal com o resto do Mundo? Quem como ele fomentou a miscegenação cultural, divulgando incansavelmente a oralidade, numa interpenetração que a todos nos enobrece?

Ah, o "You look very white", sem esquecer o "Let mi puta crime on you!"
Povo ingrato, não olvides o Camarinha!

JL disse...

Realmente torna-se difícil a escolha quando começamos a pensar bem naqueles que "por obras e artes valorosas se vão da lei da morte libertando."
Mas, amigo Albino, o Língua Morta acaba, também, de dar uma excelente sugestão. hehehehe
Um abraço

Tozé Franco disse...

Parece-me a proposta do Padre António Vieira muito válida, pelo espírito universal que demonstrou e pelo facto de muitas das suas ideias serem muito avançadas para o tempo.
Um abraço.
P.S.:Quando experimentar as escarpiadas diga alguma coisa.

Joaquim Baptista disse...

Amigo Al eu nem sequer penso muito no assunto porque vai sair asneirada da grossa desse concurso. Por exemplo em Inglaterra ganhou a princesa Diana. Em Portugal se calhar irá ganhar o Zé Castelo Branco ou o Zé Maria do Big Brother, ou se calhar o ditador Salazar. Sinceramente é populismo a mais para o meu gosto. Também já vi o nome do Viriato, que nem sequer era português, pois o país ainda não existia na altura. Só santa ignorância. Graças a Deus

Moura disse...

Estes títulos de "o maior", "o mais bonito"...fazem-me alguma confusão já que tudo é relativo e objectivo. Ainda não vi o programa mas se forem lá falados e abordados vultos como o Padre António Vieira e outros ilustres desconhecidos...então está ganha a aposta, neste país que não está habituado a conhecer o que de bom tem e já teve! É fundamental para elevar a auto-estima de uma nação conhecer os seus expoentes máximos. E diga-se em abono da verdade, Portugal já teve, tem e terá sempre gente muito capacitada!
Um abraço

João Moutinho disse...

Joaquim, Viriato é o nome do antigo presidente da Quercus. Já tenho lido alguns textos dele e parecem-me ser bastante bons.
Porque não há de ser um grande português?

RPM disse...

Amigo Al!

antes de tudo, agradeço a sua resposta uma questão minha num texto de há uns dias....

relativamente ao Pdre. António Vieira, é um homem para o seu tempo, como tivémos outros antes e depois....

relativamente ao programa da TV onde o amigo assistiu ao debate, acho-o de um programa pouco neutral porque não refere outras personalidades do antigo regime e que deveriam lá constar.....

mas coo ainda vivemos numa ditadura encaputada dirigida por intelectuais de esquerda, no 25 de abril, e que agora são capitalistas.....não posso acrescentar mais...

abraço e obrigado pelas visitas ao meu cantinho

RPM

Anónimo disse...

Não vejo nem concordo com este tipo de inquéritos. Que critérios estão definidos para escolha? Afinal o que é ser ou ter sido "o maior português ?". Para mim, há um que foi/é formidável e a quem devo tanto do que sou e a quem não conseguirei retribuir tudo o que fez: o meu Pai!

Klatuu o embuçado disse...

Grande é pouco... ENORME!

Abraço.

redonda disse...

Escolha muito difícil, mas concordo com o que disse o Moura lá em cima, só lembrar estes nomes já faz valer a pena a "eleição" :)
Um beijinho e um bom feriado.

Fernando disse...

Numa coisa concordo, antes este tipo de programas do que as novelas da vida real!

Eddy Nelson disse...

Concordo consigo, o padre António Vieira foi, de facto, extraordinário...

um abraço