quarta-feira, novembro 14, 2007

Algodres, Igreja de Santa Maria Maior!



Ja que comecei a falar-vos das gravacoes cruciformes e a seguir das escavacoes realizadas em Algodres, vou aproveitar a embalagem e referir-me ao vasto patrimonio ai existente,
tentarei ser o mais conciso possivel, nao deixando em meu ver de referir o essencial.

Hoje vou debrucar-me um pouco sobre o que eu creio sera o mais antigo monumento da antiga vila; a Igreja matriz de Santa Maria:

Embora o mais antigo documento conhecido que se lhe refere seja a lista das igrejas taxadas por D. Dinis, para a luta contra os mouros, durante o seculo XIV, estou no entanto convicto que o templo original e muitissimo mais antigo.

Da epoca da fundacao que eu suponho datar pelo menos ao seculo XII, restara na construcao actual o portal romano-gotico e um busto de uma figura masculina, incorporado na parede cabeceira da capela mor, que a tradicao local afirma ter sido o fundador da povoacao e por isso lhe chamam "o Algodres"!

O referido portal embora sem grandes ornatos, conserva na coluna esquerda duas gravacoes interessantes, com as medidas da vara e do covado, usadas neste concelho.
O campanario em estilo romanico de tres ventanas, data no entanto de fins do seculo XVIII.

No seu interior, pode-se admirar na capela mor, um altar em talha barroca e dois quadros; um com S.Pedro e o outro com S. Joao baptizando Cristo, um tecto em caixotoes, constituido por varios quadros iconograficos.
Nos dois altares laterais tambem barrocos, existem frontais com azulejos hispano-arabes.

Dentro da varia imaginaria destaca-se a imagem da padroeira, que o povo venera com titulo de Santa Maria Maior, mas que no seculo XVIII, aparecia como " Nossa Senhora da Assuncam".
Uma Senhora da Piedade, S. Mamede que ha quem afirme ser S. Pelagio, para alem de outros santos mais modernos.

Na sacristia encontram-se varios pequenos quadros, pintados com os apostolos de Cristo.

Nesta igreja que era a mae das paroquias-curato do termo do concelho, foi instituida no seculo XVI uma comenda da Ordem de Cristo. O pastor da igreja que originalmente teve o titulo de Reitor, passou a partir do seculo XVII a ter o de Vigario.

4 comentários:

Eddy Nelson disse...

Caro Al

Extraordinária explicação! Fiquei a conhecer em profundidade este tão interessante templo.

Um abraço raiano

as-nunes disse...

Esta ligação de Reitor a Vigários não a conhecia.
Também não é de espantar! As circunstâncias da vida levaram-me mais para os números (contas de carcanhol e fazendas) das empresas. E eu a vê-los passar. Os ditos. Os actuais Euros, que, pelos vistos, tanta falta fizeram aí em Fornos de Algodres para se estudar como deve ser o património da zona.
Uma pena termos que estar sempre na dependência do maldito dinheiro!
Um abraço
António

Carlos de Matos disse...

Bela igreja que visitei em seu tempo, com pessoal de Forninhos.
Ficamos mesmo impressionados com o valor artistico da sua arte sacra.
Agradeço igualmente a pessoa que tinha a chave e nos abriu a porta. Tinhamos vindo ao imprevisto e foi com uma grande paixão que o nosso guia nos acompanhou.

Lembro-me de uma imagem do Cristo ou Senhor da Cana sobre um penedo no interior, e de uns quadros alusivos, poderias Albino completar sobre esse ponto...

Obrigado

al cardoso disse...

Essas imagens que o amigo Carlos refere, nao se encontram nesta igreja, mas sim na igreja da Mesericordia a que me referirei proximamente!