sexta-feira, outubro 12, 2007

Os "judeus" da Rua Direita!


Em Algodres tera sido na Rua Direita e proximidades, que teram vivido os judeus ate que foram obrigados a ser "cristaos-novos", pois e nesta area da antiga vila, que se podem encontrar as varias gravacoes cruciformes e semelhantes, atribuidas a esta gente.

Em Julho passado, numa passagem muito rapida por ali, pude constactar mais algumas dessas gravacoes, por mim ate essa altura desconhecidas, que passarei a apresentar aos meus amigos leitores:

Esta que se ve na fotografia, encontrei-a numa casa ja em estado ruinoso, junto a uma outra construcao, em que se encontra uma gravacao com o emblema da eucaristia.

Pode ver-se na umbreira direita da porta de uma casa que se encontra coberta por um pequeno alpendre. A particularidade desta gravacao e o facto da cruz nao ser latina, e ser em forma de X. Se nao fosse com esta forma, poderia muito bem ser uma cruz da Ordem de Cristo!

3 comentários:

nuno disse...

Caro Albino:
O meu amigo tem um "olho de lince" e este tipo de gravações não lhe escapam! Nesta nunca tinha reparado.
Mas tenho dúvidas de que as gravações de cruciformes e de outros símbolos cristãos devam ser atribuídas, a priori, a cristãos-novos... No estado actual dos conhecimentos admite-se que podem ter outras origens e motivações. Julgo que só um estudo sistemático das gravações e respectivo contexto poderá, eventualmente, permitir atribuições mais seguras.
Parabéns por mais esta descoberta e por outras que nos irá, por certo, ainda revelar. O inventário que tem vindo a fazer é já muito significativo e está cada vez mais rico.
Um grande abraço,

Eddy Nelson disse...

Tenho seguido com atenção as suas "descobertas" de simbolos cruciformes relacionados com os cristãos-novos. Seria interessante uma publicação devidamente contextualizada em torno de todo este mapeamento simbólico que tão atentamente se têm dedicado...ficaria com toda a certeza o concelho de Algodres mais rico e consequentemente todos nós!!!

um abraço raiano

Tozé Franco disse...

Goste deste pormenores que passam despercebidos À maioria das pessoas.
Uma vez fiz uma visita a Coimbra orientada por uma especialista em arte dos finais do século XIX e fartei-me de reparar em pormenores interessantíssimos, em edifícios pelos quais passava todos os dias....
Um abraço.